Seguidores

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Loira Colombina

Loira Colombina

Ela vem e cola na minha retina
Nunca vem sozinha sempre de rapina
Parece um ser que vem e alucina
Mas adoro e esteve muito perto
Na grande parte da existência
Mas ela não é adolescente
É sim madura e inclemente
Alguns ela não deixa nunca em paz
Outros brinca e vai deixando viver
Mas nunca abandona os quereres
Uma vez que conhecê-la vira fã
Então essa loira é deliciosamente
Muito querida e tem um sabor
Que aguça as sensações, libertação
Mas no coração faz palpitação
Quero que ela venha devagar
E me leve para com ela viajar

Ulisses Reis®
04/02/2011

2 comentários:

Ana Casada disse...

adorei querido esse poema,,,

bela definição de uma mulher poderosa...

ana

P. Amarela disse...

É... há mulheres que adoram brincar conosco e esse jeito adolescente nos encanta! =D Nao me incomodo q brinquem, mas vao assumir as consequencias de magoar um coraçao? Nao, nao vao.. porque são maduras apenas na idade. Mas confesso, esse jeito de menina mata qqr um de desejo... rs
Eu adorei a poesia como amo tudo o que voce escreve, caro poeta!